Laranja Mecânica

por Ana Teixeira em quarta-feira, 9 de março de 2011

Laranja Mecânica (uma das obras de S. Kubrick) é ainda hoje inovador e irreverente: quer pelo seu início chocante quer pelas questões que coloca. Alex DeLarge, um jovem perturbado, relata na primeira pessoa os vandalismos e actos de violência que ele e os seus amigos praticavam, enquanto cantarolavam músicas como “Singin’ in the rain”. Acaba por ser preso, após ter morto uma mulher cuja casa assaltava, e, após uma (curta) estadia na prisão, submete-se a um tratamento que altera os seus comportamentos, passando os actos que anteriormente praticava (e, aliás, qualquer expressão de violência) a causar-lhe sensações de náusea. Tudo isto levar-nos a repensar os limites entre a consciência moral e a capacidade física para julgar o que é ou não reprovável, uma vez que o personagem principal deixou de ter atitudes violentas não por as considerar socialmente inaceitáveis, não estando subjacente aqui qualquer juízo de valor, mas sim porque simplesmente não era fisicamente capaz de as praticar, acabando mesmo por se revelar incapaz de se defender perante um ataque.
Um êxito cuja escolha da banda sonora o dota de uma certa ironia…

4 comentários

Acho que revelaste demasiado para quem ainda não viu o filme :p Mas eu fiquei com a sensação de que no fundo ele não está propriamente "curado". Há algo na cara dele no fim que não bate certo :)

by Daniela Ramalho on 10 de março de 2011 às 02:31. #

No sentido de as náuseas serem uma simulação :p (o outro comentário estava confuso quanto a isso)

by Daniela Ramalho on 10 de março de 2011 às 02:43. #

eu tb tnh a certeza de que ele não fica curado dos seus impulsos criminosos de modo nenhum! vai é passar a fazê-lo mais dissimuladamente... e com protecção oficial xD

by Inês on 14 de março de 2011 às 21:11. #

acho que não me expressei bem, quando disse que deixou de ter ataques violentos estava a falar da altura imediatamente a seguir a sair do "hospital"(estava a lembrar-me da parte com os sem-abrigo, por exemplo)...e sim, no fim a cara dele leva-nos a supor que não está curado =)

by Ana Teixeira on 3 de abril de 2011 às 19:30. #