Ilhas, Marxismo e ditadura

por Duarte Canotilho em sábado, 21 de novembro de 2009

Durante a entrevista com o Professor Helder Pacheco (historiador de renome da cidade do porto) falamos de uma possivel solução das ilhas. Aqui fica um excerto comico mas bastante real de como o estado novo via a situação.

"Eles elaboraram um projecto que consistia na criação de um bloco proximo das ilhas, e em que bloco esse com 200 habitações. A ideia era de ir as ilhas, e retirar as pessoas da ilha para o bloco, depois fazer obras na ilha com um projecto de arquitectura que a transforma num bairro, e depois realojar as pessoas que estavam no bloco de novo na ilha (que já não é uma ilha, mas sim um bairro).
(...)
O que inviabilizou este modelo foi o facto de eles se terem inspirado num bairro de viena chamado Viena Vermelha, onde havia blocos deste género que se chamavam Karl Marx Off. Quando o presidente descobriu isso ficou furioso, e disse publicamente que não permitia que se avançasse com o modelo, pois iam construir ilhas aéreas e que não podia aceitar-se um caravanzaralho (vem de Caravanzarai tenda dos beduínos onde são guardados animais).
Por outro lado o estado novo não estava interessado em construir habitação social pois não queria concentrações de população, muito menos as de operários. Interessava era dissolve-las e espalha-las pela periferia da cidade, de modo a que o centro pudesse ser ocupado pelo capital monopolista composto pela banca, serviços e escritórios que é o que ainda temos hoje. Eu diria que em vez de ser planeada a qualidade de vida e o futuro da cidade, eles planificaram a sua destruição em função de interesses. (...)
É uma conspiração contra a cidade"

Fabulosa entrevista com momentos geniais