A grande esperança

por Frederico de Sousa Lemos em quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Faz hoje 45 anos que foi atribuído o Prémio Nobel da Paz a Martin Luther King, como reconhecimento pela sua luta em prol dos direitos humanos, especialmente contra o preconceito racial nos EUA.
Este ano o galardão foi atribuído a Barack Obama, muito provavelmente como um incentivo e uma esperança na concretização das acções globais que o Presidente dos EUA iniciou (e com efeitos práticos ainda não muito visíveis). O mais prudente teria sido aguardar pela concretização das intenções de Obama, no combate às alterações climáticas, na luta contra a pobreza extrema, no desarmamento nuclear, no respeito pelos Direitos Humanos...

A decisão do Comité parece precipitada... Esperemos que as (cada vez mais altas) expectativas criadas em relação a Obama não saiam defraudadas. É esse o meu desejo.

5 comentários

achas que ele não defraudará ninguém? é impossível agradar a toda a gente!

by Inês on 16 de outubro de 2009 às 16:57. #

Este comentário foi removido pelo autor.

by Inês on 16 de outubro de 2009 às 16:57. #

principalmente contando que, além de enviar mais soldados para as nações ocupadas e gastar milhões de dólares num plano de salvação da economia enquanto tenta reformar a Saúde, Obama ainda não fez nada de nada do que tinha prometido, nem sequer para lá caminha.

é um flop.

by Manuel Pinto de Rezende on 16 de outubro de 2009 às 22:29. #

Fica para ver o reaver que não te vais arrepender manel

by Duarte Canotilho on 16 de outubro de 2009 às 22:48. #

pode muito bem ser também prémio para precaver ...certamente pensará bem melhor os seus passos com o "peso" de um nobel.

by Angelina on 23 de outubro de 2009 às 02:39. #