A gema das coisas

por Sara Morgado em domingo, 24 de maio de 2009

Não gosto de casas cheias – de coisas ou de pessoas.
Não gosto de casas cheias de coisas que nos dobram os caminhos, com movimentos de corpo roubados. Não gosto de tapetes, independentemente da cor e da suavidade: a sua utilidade é nula e prefiro o chão despedido ao longo de metros. Gosto do essencial e deito sempre ao lixo o que fica para lá da gema. E eu nem gosto dos minimalistas.
Principalmente, não gosto de casas cheias de pessoas, mais a amiga do primo e o vizinho que veio entregar não sei o quê e a porta da rua sempre aberta. Não gosto que a porta da rua esteja sempre aberta. As campainhas a tocar, as pessoas a cortar o som da música, a cortar os cheiros da nossa casa (que duram tanto tempo a ficar), a transformar a nossa casa num simples lugar comum. E não é síndrome de filha única: até porque não o sou; não é síndrome de bicho-do-buraco ou de velho com verrugas no nariz ou de adolescente a curtir uma de pseudo-depessão, ou qualquer outra síndrome de qualquer coisa que os psicólogos acabaram de inventar, devido a qualquer coisa da vida nas grandes cidades: até porque vivo numa cidade pequena. Só não gosto de muitas coisas na minha casa.
A minha mãe diz que eu estou sempre a receber cá os amigos e por isso nada do que disse faz sentido. E eu tenho muitas coisas antigas e recordações em caixas e gavetas.
Tal como eu disse: gosto do essencial.

5 comentários

"Tal como eu disse: gosto do essencial." =)

by henrique maio on 24 de maio de 2009 às 23:01. #

Revi-me nisso tudo de que falas. E, como tal, percebo ;)

by Pipette on 25 de maio de 2009 às 01:22. #

os filhos únicos não gostam de receber pessoas em casa, quando são pessoas que mexem nas gavetas ou nisto ou naquilo, ou quando tiram as coisas do sítio, mesmo que seja lixo. nem quando entram no quarto sem pedir... ah, e quando deixam a tampa da sanita para aberta... remember? :p de resto gosto de receber pessoas em casa... desde que limpem bem os sapatos antes de entrar. muhahahaa

by Daniela Ramalho on 25 de maio de 2009 às 01:34. #

Todos os filhos únicos com que abordei essa temática da tampa da sanita confirmam o que disseste :)

by Sara Morgado on 25 de maio de 2009 às 11:57. #

claro... é totalmente inestético essa mania de deixar a tampa para cima. freaks :p

by Daniela Ramalho on 25 de maio de 2009 às 19:30. #