Páscoa ateia

por Sara Morgado em domingo, 12 de abril de 2009

Hoje é domingo de Páscoa.
Cá em casa faz-se uma mousse de morango para fazer de conta que o almoço foi diferente e não dar um ar demasiado ateu à coisa. As pessoas na mesa são as mesmas, o almoço acaba à mesma hora de todos os almoços de domingo. Uns vão ler, outros dormir, outros ver tv, outros fazer outra coisa qualquer depois de saírem da mesa. Por mais que os pais ateus tentem, não há Páscoa cá em casa.
Mas, mesmo em casa de descrentes, tenta-se qualquer coisa.
É estranha esta forma da religião entrar em casa, nos horários, na moldura das férias da escola e de trabalho, nos feriados e nos dias de descanso, na gastronomia, nas prendas, nas relações com os familiares, nas cidades, nas festas da casa… mesmo que dos ateus. Mesmo dos mais assertivos, que em nada acreditamos e, mesmo não acreditando, vemos a vida moldada pela religião lá de fora e acabamos por não nos importarmos ou sequer ligarmos à nossa cedência.
E, agora que penso, não sei quantos ateus, por mais ateus que sejam, conseguiriam abdicar totalmente de um Natal.

15 comentários

Porque é que os ateus metem gazeta nos dias santos? Se não acreditam e nada celebram... Porque gozam esses furos e dizem-se a eles dignos, então?!

by Anónimo on 12 de abril de 2009 às 20:37. #

porque infelizmente sr. anonimo, o estado so poe feriados nos dias "santos". Tirando um ou outro o resto vem tudo da treta da religião.
e já que temos de aturar a religião ao menos k sirva para algo, ou seja dias de gazeta :)

by Duarte Canotilho on 12 de abril de 2009 às 22:03. #

Se o estado acabasse com os feriados religiosos e arranjasse feriados nao religiosos a questao ja nao se punha, e o anonimo ja nao fazia figura de Urso.

A minha pascoa tem uma coisa diferente.... Cabrito! e bolos... é uma boa desculpa para encher a barriga com coisas boas

by Duarte Canotilho on 12 de abril de 2009 às 22:05. #

Acho dispensável o insulto atravessado quando ninguém aqui foi rebaixado no primeiro comentário...

No entanto, reitero que ao gozarem os dias santos estão a cometer uma incoerência... A maioria tem em casa raízes religiosas - nem que seja de há duas gerações - e faz tudo para quebrar as tradições que eram certas na casa até há umas décadas. Assim se afirmam ateus. Muito bem. Mas nos dias santos, já fazem férias, ou seja, já realizam uma das várias vertentes de celebrar o dia catolicamente (que é não trabalhar e sim festejar).

by Anónimo on 12 de abril de 2009 às 22:13. #

É perfeitamente possível celebrar o Natal como um dia em que a família se reune, vê o sozinho em casa, os putos abrem os presentes oferecidos pelo pai natal e comem-se óptimos doces.

E no entanto pode não existir presépio, estórias sobre o menino jesus ou missa do galo(esta então totalmente trocada pela troca de prendas à meia.noite).

Estes dias são bastante importantes e bonitos e acima de tudo devem ser celebrados da forma que cada um entender.

Afinal se o feriado é dia 25, pk nao uma família de ateus aproveitar o dia livre, juntarem-se e celebrarem da maneira que bem entenderem?

Há mt que feriados mais carismáticos cm a Páscoa e Natal ultrapassaram (marketing?) o simples motivo religioso...

Se te pedirem(ou a uma criança) para fazerem um desenho da páscoa provavelmente desenharás o coelhinho e ovos de chocolate, e no natal o pai natal e as renas e chaminé.

Como tal, celebrar ou fazer férias
em dias livres(feriados) não me parece ser coerentemente apenas uma afirmação católica, que como deverás perceber numa sociedade laica, o dia livre existe para as pessoas fazerem o que bem entenderem(inclusive hábitos de uma qualquer religião) independentemente da sua opção religiosa.

PS: as discussões religiosas são a pior estupidez pk nka ngm ficará convencido e há smp enorme falta de bom senso e respeito, portanto a não ser que haja algum argumento de jeito não voltarei a responder....

by Hugo on 12 de abril de 2009 às 22:28. #

Haverá sempre resposta dos dois lados. Para o Natal e Páscoa ainda podem falar de tudo isso e ainda de que são momentos pertinentes no ciclo anual da vida... Mas esse raciocínio já não explica o 8 de Dezembro ou o dia móvel que é o Corpo de Deus (este ano: dia 11 de Junho), por exemplo.

De facto, é uma discussão sem fim. Mas só queria algumas opiniões :)

by Anónimo on 12 de abril de 2009 às 22:34. #

Exacto Hugo, é isso. No fundo acho que é o que acabo e acabamos por fazer :)

by Sara Morgado on 13 de abril de 2009 às 00:23. #

podíamos de facto partir todas as montras e forçar os patrões a deixar-nos trabalhar ou forçar os professores a darem aulas e assim o anónimo já tinha felicidade garantida.
basicamente os ateus aproveitam a treta das festas religiosas para fazer férias, where is the big deal? é uma inteligente forma de vivermos a aproveitar as crendices dos outros. lol
em minha casa não se faz exactamente nada, sinto-me muito feliz por poder esquivar-me a fazer de conta que estou muito importada com o que se celebra hoje :p agora só falta o natal :)

by Daniela Ramalho on 13 de abril de 2009 às 01:47. #

Impossível criar dois sistemas no dia santo. Não disse "vai mas é trabalhar!", pois não? Só quis esclarecer-me quanto à vossa posição sobre o assunto. Ou seja, noutros pontos em que têm de lidar com a religião, abominam qualquer contacto, estrebucham e dizem-se manchados. Mas nos dias santos, se bem que nada vos diz e nada celebram, há uma aceitação do facto, que vai além disso, ou seja, há um verdadeiro "rejúbilo":

"é uma inteligente forma de vivermos a aproveitar as crendices dos outros. lol "

"é uma boa desculpa para encher a barriga com coisas boas"

"ao menos k sirva para algo, ou seja dias de gazeta :) "

São reflexos de que até gostam e não têm sequer uma posição neutra. Já noutras ocasiões, sentem-se completamente ultrajados; porque não mantêm a mesma postura positiva? É que vêm logo com:

"vem tudo da treta da religião."

"a treta das festas religiosas"

"crendices dos outros"

by Anónimo on 13 de abril de 2009 às 13:25. #

Este comentário foi removido pelo autor.

by The Blue One on 13 de abril de 2009 às 20:57. #

Eu não queria dar a minha opinião, porque tanto neste espaço como noutro qualquer na Net a nossa opinião fica sempre por meias palavras e a coragem é sempre muito grande para se ser e dizer aquilo que muita gente não é nem diz no seu dia a dia.

Ponto Prévio, eu não sou Ateu, nem Católico (apesar de me identificar mais com esta religião por influência familiar), nem Muçulmano e muito menos Budista (acho que não deixei nenhuma Religião de lado), mas acredito em Deus e em muito da sua História.

A minha resposta á pergunta "Porque é que os ateus metem gazeta nos dias santos? Se não acreditam e nada celebram... Porque gozam esses furos e dizem-se a eles dignos, então?!" do nosso caro Anónimo é a seguinte:

Vivemos num Estado onde as Leis regulam a Sociedade e se foi estabelecido na Assembleia da Republica que os Dias Santos são Feriados Nacionais onde ninguém trabalha (ou não deveriam trabalhar), o único "remédio" que se tem é então gozar este dia de paragem quer se seja digno ou não.

Se calhar é a minha Faceta de Homem das Leis a falar, mas é a realidade que me parece mais adequada e sem ter de recorrer ao insulto, ironia e discussão que foram utilizados pelos Comentadores anteriores e que a nenhuma conclusão levam a quem lê o que escrevem.

Saudações a todos e não tenham pressa em terminar o Curso que isto do Desemprego é levado da breca e ainda temos de levar com uma Ordem que não tem ordem nenhuma e com 2 anos e meio de formação ;)

P.S: Fui eu quem apagou o Comentário anterior, pois tinha alguns erros de ortografia

by The Blue One on 13 de abril de 2009 às 21:04. #

acho, Anónimo, que o Canotilho tinha razão ao sentir-se ultrajado com o "tom" do teu comentário.
quanto ao "chico-espertismo" da posição "eu não acredito mas é uma oportunidade que as crendices nos dão para não ir ao trabalho e empanturrar-nos de amêndoas" próprio de algumas posições acéfalas, de que a Daniela foi infeliz representante, concordo com todas as criticas possíveis e imagináveis que se possa tecer.

não é da competência única do direito explicar os feriados religiosos no seio do entendimento do ateu.
a explicação que eu dou parte do ponto de vista que se tem da religião. se conceberes a religião como uma realização cultural da sociedade, em vez da tradicional mentalidade da "religião, ópio do povo", chega-se com naturalidade à razão de ser dos feriados religiosos nacionais. são expressões da cultura popular que pertencem a todos os portugueses, e só depois disso são meramente católicos.

o que torna algo ridículo a posição ateia de celebrar a páscoa, e não escondo isso.
mas tal se deve ao facto de a posição do ateu ser de negação para com as expressões culturais religiosas. enquanto não-católico, eu ajoelho-me ao entrar numa igreja católica, e descalço-me ao entrar numa mesquita muçulmana. porque, ao contrário de certas posições ateístas completamente afastadas da realidade da interacção entre humanos, posições essas que são tão forçadas e plásticas que estupidificam, a religião é um elemente preponderante na cultura e na tradição dos países, que merece todo o respeito.
não é por estar no Afeganistão que faça o jejum do Ramadão, mas nada explica que não procure tomar uma posição algo concordante com os costumes locais, desde que tal não afecte a minha dignidade ou a minha vontade. tenho é de aceitar que, pela cultura desse povo, os dias necessários ao Ramadão exigem dos praticantes uma entrega que inviabiliza horários normais, de trabalho ou afins.

by Manuel Pinto de Rezende on 14 de abril de 2009 às 01:42. #

Definitivamente the blue one...ao referir 3 religiões não deixas.t mais nenhuma de lado... :D

by Hugo on 14 de abril de 2009 às 12:52. #

Este comentário foi removido pelo autor.

by The Blue One on 14 de abril de 2009 às 18:08. #

Hugo mas que lapso o meu ao deixar a maior e melhor religião de todas que é o Futebol Clube do Porto de fora :D Até existe um Papa e tudo ;)

Brincadeira á parte, eu pus aquelas que são consideradas as 3 grandes Religiões do nosso Mundo. Nunca me passou pela cabeça não colocar as restantes por mera negligência ou má vontade, pura e simplesmente se o fizesse o meu Comentário seria do tamanho de uma enciclopédia...

by The Blue One on 14 de abril de 2009 às 18:11. #