A Leste Nada de Novo

por Zenhas Mesquita em quarta-feira, 22 de abril de 2009

Assustador, é no mínimo a descrição mais branda para este capitulo na obra “ Stalin and The Court of the Red Tsar “ , de Simon Sebag Montefiore. Este pode ser descrito como o momento mais crítico da carreira do mais sanguinário ditador da segunda grande guerra. Aprendi que por dois dias ele abandonou o poder, refugiando-se no seu escritório, esperando por alguém que o tentasse substituir. Por medo, ou por incapacidade nunca houve um audaz. Stalin era inteligente e não caiu no seu momento de maior fraqueza pois todos os seus opositores estavam mortos. Foi também o ano em que ele fez tentativas desesperadas por encontrar a paz com a Alemanha Nazi através da embaixada Húngara, enquanto a BlitzKrieg atingia Moscovo com a sua máxima força. Foram tempos difíceis para os Russos, onde a coragem era induzida pelo medo, não de perder a sua pátria, mas a sua vida. Stalin governava com punho de ferro o Exercito Vermelho, através de um sistema duplo, de militares e comissários políticos. Recuar era traição. Render-se ao inimigo era sentença de morte para toda a família que ficava.
Desta época recorda-se sempre Hitler como o pior, o que matou 6 milhões de judeus. Pois Hitler é um menino comparado a Estaline, que só em 2 anos condenou 15milhoes de Ucranianos a morrerem à fome. Fora os deportados para os Gulags, as vitimas das purgas, todos aqueles que por incompetência dos Oligarcas que se julgavam generais, morreram nas frentes de batalha, e os civis exterminados. Os povos deportados para regiões tão remotas como a Mongólia.
Um colega de faculdade uma vez disse-me. “ Os grandes génios militares da segunda guerra foram, Rohmel Patton e Montgomery, os russos não tinham nada, apenas numero “. A ideia feita por uma sociedade que cresceu a ver os filmes de Hollywood, e a jogar Call of Duty, esquece-se que a Normandia e a intervenção Americana na Europa, foram uma gota comparada a toda a barbárie assistida na frente Oriental. ¾ de toda a Wermatch, estavam a lutar numa frente que se estendeu desde Leningrado até as margens do Mar Negro no Cáucaso. Se falarmos em génios militares à cabeça terá de estar Zhukov o herói da defesa de Moscovo. Como um dia foi dito “ a quantidade é uma qualidade por si só “. Um exército de 12milhoes, não é um “ nada “. A esse meu colega que julga a Normandia o conflito mais sangrento da segunda guerra, eu posso responder que foi apenas o quinto. A mais mortal batalha foi a tomada de Minsk pelos Nazis.
Isto tudo leva-me a crer que mais perigoso que uma ideologia de ódio como a Nazi, é o apropriamento do Marxismo para legitimação de um dos mais pérfidos governantes que a terra já viu. O Stalin é uma personagem Histórica fascinante, mas felizmente hoje está a distância de um livro.



8 comentários

Apenas me apetece dizer isto:

Stalin foi a Besta Negra do Comunismo. Foi alguém que se serviu da nobre ideologia Comunista para se afirmar na História da bela Rússia e Mundial.

E o autor deste texto nem faz referencia á vergonhosa, sanguinária e estúpida invasão da Finlândia pelo Valente e Corajoso Exercito Vermelho. Esta invasão ficou conhecida como uma das maiores vergonhas da História da União das Republicas Socialistas Soviéticas, pois um exercito tão grande fora derrotado por um pequeno grupo de resistentes Finlandeses... E tudo isto porque Stalin tinha metido na cabeça que tinha de invadir a Finlândia antes que esta pensasse sequer em invadir a URSS... Depois levou com os Alemães em cima.

Na minha opinião o maldito Fascista Nazi foi de longe bem pior do que Stalin... Mas no nosso Mundo Ocidental temos sempre a mania de rotular de pior tudo o que vem do Leste, daí que não valha a pena estar aqui a explicar porque discordo com a opinião do autor deste texto.

Cumprimentos s todos os Tribuneiros e Tribuneiras

by The Blue One on 23 de abril de 2009 às 17:21. #

Antes de mais, não será difícil ver que o nome do autor do post, é o de quem o publicou. Partindo agora para a bela critica que li, posso apenas referir que não me parece que um “ pequeno grupo de resistentes Finlandeses” fosse algum dia invadir a URSS. Digo-o pois a politica externa Soviética, definida pelo acordo Molotov-Ribbentrop, é clara no assunto. Os três bálticos e a Finlândia na esfera de influencia Russa. Os primeiros após longa pressão cederam, enquanto que os Finlandeses cederam, mas não a maioria do seu parlamento, ficando com um deputado a mais. Recordo então que a questão de quem ataca quem aqui não se põe.
Curioso que o caro Blue One, pena não saber o verdadeiro nome, fale em rótulos. Esquece-se que foi já vitima dos mesmos, considerando aquele que ficou em segundo na lista dos que mais matou (só ultrapassado por outra figura do comunismo, chamada Mão Tse Tung), fico então curioso por saber quais argumentos que o levam a semelhante conclusão, senão os de que se fala da Alemanha Nazi que perdeu a guerra, e a URSS como vencedora. A justiça como sempre age em prol dos vencedores. Campos de morte, sim são uma macabra recordação desse regime, mas porque não associamos também os Gulags ao Regime Comunista? Estamos aqui a falar de um Homem, que inclusive condenou os filhos a morte. De alguém que condenou o seu próprio povo a um regime de terror inspirado nos piores dias da revolução francesa. A haver rótulos hoje em dia, haverá no medo a criticar o comunismo. E revolta-me, que se desculpem os excessos daqueles que deturparam as palavras de Marx.
Por ultimo gostava de te recordar que Fascismo e Nazismo não são a mesma coisa. Talvez no parlamento da Madeira o sejam, mas aqui falamos de coisas de uma forma um pouco mais seria. Não vale a pena pois não há como explicar o obvio.

by Zenhas Mesquita on 23 de abril de 2009 às 21:08. #

eu recordo que nas primeiras páginas que leste desse livro, conseguiste traçar semelhanças entre mim e estaline... se calhar é melhor o povo da fdup se preparar para o meu pequeno reino de terror... muhahaha

eu continuo a gostar menos do hitler, mas isso são motivos que não se conseguem explicar pela internet.

by Daniela Ramalho on 23 de abril de 2009 às 21:29. #

épá, eu gosto mesmo muito de discutir conhecimentos de história.
o zé já sabe como eu sou, e aprecio muito a cedência simpática da parte dele de mais informações. desconhecia de todo o que se passou em Minsk. os meus conhecimentos da frente leste resumem-se a Estalinegrado e a Kursk (a batalha dos Tanques, não é? dos acontecimentos mais curiosos do dito confronto).

o acontecimento da Ucrânia não é consequência da guerra, penso. é uma consequência das economias planeadas. os primeiros planos quinquenais de estaline não funcionaram tão bem como os do pós-guerra, e ele precisou do cereal da ucrânia para alimentar a rússia.
é claro que os ucranianos não escaparam ao glorioso esforço colectivista.

quanto ao resto, ninguém me tira que rommel foi o melhor general da II Guerra. podes atirar com os zhukovs que quiseres :P
o que o rommie fez no afrika korps ainda é estudado.
barricar 100 mil homens para defender uma cidade, como fez zhukov, não.

by Manuel Pinto de Rezende on 23 de abril de 2009 às 21:37. #

Zenhas longe de mim defender esta maldita e falecida pessoa de nome Stalin. Foi para mim a pessoa que manchou com muito sangue uma ideologia que não é a perfeita, mas que para mim é a melhor de todas as que temos na mesa.

Naturalmente que eu também não me acredito que um pequeno grupo de Finlandeses pudesse alguma vez invadir a URSS, mas foi este o argumento utilizado por Stalin para justificar a estúpida guerra contra este País da Europa do Norte. Pelo que contavam na altura, Stalin receava que a Finlândia fizesse o que a Alemanha Nazi fez mais tarde e que já é de todos conhecido. Naturalmente que a Verdade é outra, mas isto só muito recentemente se descobriu com a abertura de alguns ficheiros secretos que estavam bem guardados nos cofres Russos.

Zenhas eu falo em Rótulos, porque toda a gente sabe que o Holocausto Japonês foi uma realidade (com Campos de Concentração em pleno USA, onde eram encarcerados milhares de Japoneses que na altura da 2ª GM viviam nos USA e muitos deles foram executados) e ainda tivemos a famosa época da Caça ás Bruxas (perseguição a Comunistas) e ninguém diz nada, limitando-se a assobiar para o lado... Mas se falarmos no que aconteceu no Leste é tudo muito negro e mau. È por isto que não quero explicar o que muita gente não quer entender.

Mao Zedong? Pergunta á Angelina o que eu penso sobre ele... Outro oportunista radical... Ho Chi Min (Vietname) é outro, sendo que a única coisa de jeito que fez foi mostrar aos Americanos que não são os Srs. do Mundo.

"E revolta-me, que se desculpem os excessos daqueles que deturparam as palavras de Marx." Partilhamos o mesmo sentimento caro Zenhas.

È Verdade ou não que quando se fala em Fascismo que a primeira coisa que vem á Cabeça das Pessoas é a Alemanha Nazi? È quase como se uma "fotografia" do mesmo... Penso portanto não ter dito uma asneira assim tão grande, e também estamos numa “conversa de café”, daí que não precisemos de ser tão precisos para nos fazermos entender.

Daniela e Zenhas, Hitler não é para se gostar, é para se recordar para que se evite que a asneira Nazi se volte a repetir seja em que parte do Mundo for.

Para quem não sabe o meu nome é Pedro Silva, ex-estudante da FDUP e ex-Tribuneiro também (mais conhecido por Marquês).

Cumprimentos Zenhas e um jinho Daniela.

by The Blue One on 23 de abril de 2009 às 22:06. #

"E revolta-me, que se desculpem os excessos daqueles que deturparam as palavras de Marx."

zé, tu escreveste mesmo isto?
é quase como dizer:
"E revolta-me, que se desculpem os excessos daqueles que deturparam as palavras de Cristo."

o marxismo é mesmo uma religião...

by Manuel Pinto de Rezende on 23 de abril de 2009 às 23:07. #

Manuel e a Política não é em si mesmo uma Religião? Até há quem faça de um partido o seu clube de Futebol...

Dito de outra fora, não será a Religião um conjunto de "Ideologias" dada a sua diversidade por este Mundo fora tal como a diversidade de Ideologias Políticas?

E onde está o mal de um Cristão afirmar que o revolta os excessos que a Igreja católica fez nos Séculos Passados? Onde é que está o mal que um Muçulmano se revolte com p seu Islão pelo facto de a facção mais radical do Islamismo ter também cometido excessos?

È por estas coisas que eu digo que nós Ocidentais temos a mania dos rótulos e não vemos mais além...

Cumprimentos Manuel e desculpa ter-me metido na conversa

by The Blue One on 24 de abril de 2009 às 01:40. #

Pá zé, quem te disse que os génios militares da segunda guerra foram o rommel e o montegomery e o patton, então CLARAMENTE não percebe muito do assunto. Tens toda a razão

Indiscutivelmente esses foram importantes, mas realmente sem o Zhukov a leste a aguentar durante 3anos a elite da wermacht, eu gostava de saber como é que os americanos invadiam a normandia.
E esqueceram-se do Ike(eisenhower).

SIm o Stalin era um ditador da pior especie com muitos, mesmo muitos defeitos. Mas claramente o hitler era pior. Aqui a questão fundamental não é o que mata mais. Stalin tinha odio por determinadas minorias etnicas, e mandava-as matar.
HItler fez atrocidades bem piores ao fazer experiencias geneticas em pessoas... Ao querer destruir todo um conjunto de pessoas apenas pela sua religião, ao começar uma guerra, quando toda a europa lhe dava de mao beijada aquilo que ele queria....
Entre o mau, não sei qual dos dois é pior. Mas Estaline dizia que a unica pessoa em que confiava era Hitler, logo por aí se via que a mãe do estaline não o ensinou a escolher as melhores companhias.
E se nós nos juntamos aos bons, ficamos bons como eles. Mas se nos juntarmos aos maus, ficamos piores que eles

by Duarte Canotilho on 24 de abril de 2009 às 22:17. #