as pedras no caminho

por Francisco em quarta-feira, 29 de abril de 2009

Apareceu de rompante
falou de pedras e ruas
e sorriu estranhamente,
Cambaleante.

Pediu um cigarro,
disse que era para o caminho.
respondi que não tinha
embora tivesse o meu amigo.

Não nos queria
assustar
dei-lhe simpatia e à-vontade
e o receio consegui espantar.

E ele lá foi, trabalhar.

(momentos vividos algures entre o real e o sonho na Rua D. João IV à porta da gráfica)