Dos hinos

por D. em sábado, 21 de março de 2009

Hoje enquanto me preparava para sair, peguei no velho porta-cd’s e comecei a procurar por um qualquer cd que me apetecesse ouvir. Existem inevitavelmente categorias de cd’s e de bandas: existem essencialmente duas. Aqueles cd’s que ouvimos exaustivamente durante muito tempo porque são simplesmente viciantes, mas que passado esse tempo deixam de fazer sentido. E aqueles que ouvimos muitas vezes, deixámos de ouvir mas sempre que pegámos neles associámos a certos momentos, como se fossem hinos e percebemos que nunca deixam de ser bons cd’s.
É essa a vantagem das boas canções, conseguem ser mais do que música e ser pedaços de memória, são sorrisos quase imediatos. Em 2001, quando este cd apareceu, foi como ar fresco que veio mudar o que se fazia até então, embora o estilo não seja propriamente inovador. Mas finalmente havia rock and roll feito no século XXI e de repente todo um movimento surgia. Muitos provavelmente escolheriam a Last Night, para mim, a Someday é sem dúvida a música mais marcante deste álbum.



Someday - The Strokes