Bom ano para todos

por Luísa em quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Vinte minutos para a meia noite e o cansaço começou a apoderar-se do meu corpo. A verdade é que, apesar de saber que tinha doze passas e um copo de "champagne" à minha espera, o meu coração não se encontrava a um ritmo mais acelerado do que o normal... bem pelo contrário.
Olhei em redor. Um pequeno sorriso me despertou. Estava contente por nós estarmos ali. Era uma felicidade que transparecia nos seus olhos, apenas por partilharmos aquele momento.

O tempo passou entre a luta com as novas tecnologias e a minha falta de jeito.
Dois minutos para a meia noite e uma amena cavaqueira.
De repente, a televisão despertou-nos: "3, 2, 1..." Abraços, beijos, sorrisos, brindes... BOM ANO NOVO!

Este ano [ou melhor, este ano que passou...]não "teve" passas. Não houve doze desejos. Mas também será que serei eu ou as passas quem os poderá concretizar?

2 comentários

ou nem tu nem ninguém...

by M.A. on 1 de janeiro de 2009 às 20:36. #

confesso que nunca peço desejos. e ontem, tinha uma estranha sensação no peito, e à meia noite abri o champanhe sozinha, bebi sôfrega as primeiras goladas, passei a garrafa para outra mão e rapidamente olhei a minha cidade e olhei para o fogo no céu e lembrei-me de todas as coisas que tinham acabado de morrer li. libertei da minha cabeça coisas e coisas que estavam entaladas. beijei as pessoas que estavam comigo. beijei uma das pessoas mais importantes que tenho e que estava comigo. e pensei nas outras que não estavam, porque mesmo os amigos acabam por seguir caminhos distintos por vezes. e senti-me limpa e vazia, como se tivesse acabado de nascer. meia hora depois, havia algo de estranho que tinha voltado.

by Daniela Ramalho on 2 de janeiro de 2009 às 02:05. #