A Mim Ninguém me Cala: Um facto irreversível

por Pedro Silva em quarta-feira, 15 de outubro de 2008

É do interesse do Estado português proceder hoje ao reconhecimento do Kosovo", disse o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, na comissão de negócios estrangeiros da Assembleia da República.
O ministro apontou quatro razões que levaram a esta tomada de decisão: a primeira das quais é "a situação de facto", uma vez que, depois da independência ter sido reconhecida por um total de 47 países, 21 deles membros da União Europeia e 21 membros da NATO, "é convicção do governo português que a independência do Kosovo se tornou um facto irreversível (...) e não se vislumbra qualquer outro tipo de solução realista".

Depois de ler este excerto das declarações do Sr. Ministro Luís Amado eis que fico com algumas questões que me atormentam o espírito:

1º) Que ganha Portugal com o reconhecimento do Kosovo?

2º) Se o Kosovo se tornou “um facto irreversível”, então porque motivo se recorreu a um Tribunal Internacional para se verificar a legalidade deste Reconhecimento? E se o Reconhecimento for Ilegal aos olhos deste Tribunal Internacional?

3º) Não era suposto a União Europeia ter uma Política Externa independente mesmo que vá contra os interesses dos Estados Unidos ou de outra Nação Mundial que não fizesse parte da U.E.? Se o é porque é que vai sempre de reboque ao que os U.S.A. decidem?

4º) Se o Kosovo é realmente “um facto irreversível”, então que dizer do Tibete, País Vasco, Irlanda do Norte, etc., etc? Estes “estados” tem menos Direito a serem reconhecidos que o Kosovo?

Provavelmente irei morrer sem nunca ter resposta para estas questões, mas ainda bem que tenho outras coisas na Vida que me fazem pensar que o Mundo tem algo mais para além das jogadas de bastidores da Política Internacional, ou melhor dizendo da Politica Externa dos Estados Unidos (vamos lá a chamar as coisas pelos nomes).

2 comentários

Pelos vistos não é só Luis Amado a não perceber de Política Externa! E de certo que a probabilidade do bloguer de morrer sem obter resposta às iluminadas questões ora, formuladas aumentam exponencialmente, quando não se apercebe das jogadas de bastidores existentes em "estados exíguos" dos quais todos nós ( ou pelo menos, a maioria de nós) pretencemos! Haja conhecimento, prudência e ponderação nas palavras! recomemendo vivamente a leitura do Estatuto do Tribunal Internacional de Justiça....

by Anónimo on 18 de outubro de 2008 às 19:49. #

A Verdade seja dita que as respostas ás questões continuam sem aparecer...

Também eu aconselho a todos uma leitura atenta dos Estatutos do T.I.J. para que possam ver que neste "jogo" a que chamamos de Politica Internacional as regras estão viciadas á partida.

Conhecimento, prudência e ponderação também eu pedia aos Politicos dos ditos "grandes" do Mundo, mas o resultado é sempre o mesmo e os interesses falam mais alto do que as verdadeiras necessidades do nosso Mundo. Será que o Homem é mesmo o seu própio Lobo como dizia Hobbes?

Saudações.

by The Blue One on 18 de outubro de 2008 às 22:34. #